Espere mais um pouco


Um homem, no lim
ite de suas forças, atentou
contra a própria vida com uma arma de fogo.
Ouvindo o tiro, o
vizinho
entrou naquele apartamento,
e ao lado do corpo encontrou uma carta assim escrita:

" Não deu para suportar. Passei a noite toda
como um louco pelas ruas.
Fui a pé ... não tinha condições nem para dirigir.
Perdi meu emprego há meses
por injustiça feita contra mim. Nada mais consegui.
Ontem telefonaram avisando que minha
pequena moradia no campo foi incendiada.
Estava ameaçado de perder este apartamento
por não ter podido pagar as prestações.
Só me restou um carro tão desgastado que nada vale.
Afastei-me de todos os meus amigos
com vergonha desta humilhante situação.
... e agora, chegando aqui, não encontrei ninguém
... fui abandonado e levaram até minhas melhores roupas!
Aquele que me encontrar, faça o que tem que ser feito.
Perdão. "


O vizinho dirigiu-se ao telefone para chamar a polícia.
Quando esta chegou viu que havia recado na secretária eletrônica.
Era a voz da mulher do morto:

" Alô! Sou eu!
Ligue para a firma! O engano foi reconhecido e você
está sendo chamado de volta para a semana que vem!
O dono do apartamento disse que tem
uma boa proposta para não o perdermos.
Estamos na nossa casinha de campo.
A história do incêndio era trote!
Isso merece uma festa, não merece?
Nossos amigos estão vindo para cá.
Um beijo!
Já coloquei suas melhores roupas no
porta malas do seu carro.
Vem! "



No último minuto reflita só mais um minuto!
 


Silvia Schmidt
*Humancat*
(dir.aut.reserv.)
©2000

Visite o site da autora:  *Humancat*





 

 

 
 
Página editada em 28/11/2006

Atualizada em 30/11/2006



PAIXÃO E TERNURA By Terê Paetê

Todos os direitos reservados. All rights reserved.


http://www.paixaoeternura.com